Tripalium

 

No fim da Idade Média, o antigo sonho do alquimista de fabricar um homúnculo em laboratório tomou pouco a pouco a forma da criação de robots para trabalharem em vez do homem e da educação do homem para trabalhar ao seu lado. Esta nova atitude perante a actividade produtiva reflete-se na introdução de uma nova palavra. Tripaliare significava “torturar sobre o trepalium”, mencionado no século VI como uma armação construída por três troncos, suplício que substituiu o da cruz no mundo cristão. No século XII, a palavra trabalho significava uma experiência dolorosa. Foi preciso esperar até o século XVI para se poder utilizar a palavra trabalho em vez de obra ou de labor.

À obra (poiesis) do homem artista e livre, ao labor (poneros) do homem pressionado por outro ou pela natureza, acrescentou-se então o trabalho ao ritmo da máquina. Seguidamente, a palavra trabalhador deslocou o seu sentido para agricultor e operário. No fim do século XIX, os três últimos termos mal se distinguiam entre si.

‘Tripalium’ Performance by Filipe Garcia | Curadoria Izidorio Cavalcanti & Marcela Camelo, Projecto PE -15 Uma viagem integrada com arte – Festival de Performance Recife, BR 2014 PE 15 wellcome